quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

EUA - Declaração de Antonio, Fernando e Ramón

8 de Dezembro de 2009
 
Cinco cubanos prisioneiros nos Estados Unidos

 



Queridos irmãos e irmãs de Cuba e do mundo:
 
Já cumprimos mais de 11 anos presos sem que se tenha feito
justiça em nenhuma das instâncias do sistema judicial estadunidense.
 
Três de nós fomos transferidos a Miami para sermos re-sentenciados
cumprindo uma ordem do Décimo-primeiro Circuito da Corte de Apelações
de Atlanta, que determinou que nossas sentenças foram impostas erroneamente.
 
Nosso irmão Gerardo Hernández, que cumpre pena de duas cadeias perpétuas
mais 15 anos de prisão tem sido arbitrariamente excluído deste
processo de re-sentença. Sua situação continua sendo a principal
injustiça em nosso caso. O Governo dos Estados Unidos conhece a
falsidade das acusações contra ele e o quão injusta é sua condenação.
 
Este é um processo complexo, muito discutido em cada detalhe, no qual participamos junto com nossos advogados. Não cedemos nem um milímetro em
nossos princípios, decoro e honra, defendendo sempre nossa
inocência e a dignidade de nossa Pátria.
 
Assim como no momento de nossa prisão e em outras ocasiões durante esses longos anos, agora, também, temos recebido propostas de colaboração com o Governo dos Estados Unidos em troca de conseguir sentenças mais benevolentes. Uma vez mais rechaçamos tais propostas, algo que jamais aceitaremos sob nenhuma circunstância.
 
Nos resultados destas audiências de re-sentença está presente o trabalho da equipe legal e a indestrutível solidariedade de todos vocês.


 
Como acontecimento significativo o governo dos Estados Unidos, pela primeira
vez depois de 11 anos, se viu obrigado a reconhecer que não causamos nenhum dano a sua segurança nacional.
 
Também pela primeira vez a promotoria reconheceu publicamente a
existência de um forte movimento internacional em apoio a nossa libertação imediata que afeta a imagem do sistema judicial dos
Estados Unidos ante a comunidade internacional.
 
Se confirma mais uma vez o caráter político deste processo.
 
Nos castigam aos Cinco por acusações que nunca foram provadas. Ainda que três sentenças foram reduzidas parcialmente, a injustiça se
mantém com todos.
 
Os terroristas cubano-americanos continuam desfrutando de impunidade total.
 
Reiteramos: Os Cinco somos inocentes!
 
Nos sentimos profundamente comovidos e agradecidos pela permanente
solidariedade que nos brindam, tão decisiva, nesta longa batalha por justiça.
 
Junto a vocês continuaremos até a vitória final, que somente será
conquistada com o regresso dos Cinco à Pátria.
 
Antonio Guerrero
Ramón Labañino
Fernando González
 
Miami, 8 de dezembro de 2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário