segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

CUBA - Declaração do MINREX

Declaração do Ministério de Relações Exteriores de Cuba.
No dia 14 de janeiro de 2011, o Governo dos Estados Unidos anunciou novas medidas sobre Cuba. Ainda teremos que esperar pela publicação das regulações para conhecer seu verdadeiro significado, de acordo com a informação preliminar dada a conhecer pela Secretaria de Imprensa da Casa Branca, as medidas consistem em:

• Autorizar as viagens de norte-americanos a Cuba com fins acadêmicos, educacionais, culturais e religiosos.

• Permitir a cidadãos norte-americanos enviar remessas a cidadãos cubanos em quantidades limitadas.

• Autorizar os aeroportos internacionais dos EUA a solicitar permissão para operar vôos charters diretos a Cuba sob determinadas condições.

A adoção destas medidas é o resultado do esforço de amplos setores da sociedade norte-americana que durante anos tem exigido, em sua maioria, o levantamento do bloqueio genocida contra Cuba e a eliminação da absurda proibição das viagens ao nosso país.
Também expressa o reconhecimento do fracasso da política dos Estados Unidos contra Cuba e de que procura novas vias para conseguir seus objetivos históricos de dominação de nosso povo.
Apesar das medidas serem positivas, ficam muito abaixo destes justos reclamos, tem um alcance muito limitado e não modificam a política contra Cuba.
O anúncio da Casa Branca se limita, fundamentalmente, a restabelecer algumas das disposições que estiveram em vigor na década de noventa sob o governo do presidente Clinton e foram eliminadas por George W. Bush a partir de 2003.
As medidas somente beneficiam determinadas categorias de norte-americanos e não restituem o direito de viajar a Cuba de todos os cidadãos norte-americanos, que continuarão sendo os únicos em todo o mundo que não podem visitar nosso país livremente.
Estas medidas confirmam que não existe vontade de mudar a política de bloqueio e desestabilização contra Cuba. Ao anunciá-las, os funcionários do Governo dos Estados Unidos deixaram bem claro que o bloqueio se manterá intacto e que se propõem usar as novas medidas para fortalecer os instrumentos de subversão e ingerência nos assuntos internos de Cuba. Isto confirma a denúncia exposta na declaração do MINREX de 13 de janeiro passado.
Cuba sempre favoreceu os intercâmbios com o povo norte-americano, suas universidades, suas instituições acadêmicas, científicas e religiosas. Todos os obstáculos que entorpecem as visitas dos estadunidenses a Cuba sempre foram e seguem sendo hoje, do lado do governo dos Estados Unidos.
Se existisse um interesse real em ampliar e facilitar os contatos entre nossos povos, os Estados Unidos deveriam levantar o bloqueio e eliminar a proibição que faz de Cuba o único país que os norte-americanos não podem viajar.
Havana, 16 de janeiro de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário