quinta-feira, 16 de junho de 2011

SP - Programação da XIX Convenção

Programação detalhada


21 e 22/06 – terça-feira e quarta-feira


Sala de projeção do Pavilhão da Criatividade - Memorial da América Latina

19h - Exibição de filmes cubanos

Dia 21 – Lucía
Sinopse:
Lucía é uma obra mestra do cinema cubano, tinida até hoje como a consagração definitiva de um cineasta e de uma filmografia nacional. A obra está composta por três contos. Em cada um deles a protagonista leva o nome de Lucía, ou seja, uma representação da mulher cubana em três tempos. A três Lucías encadeiam a épica pessoal com o fluir da epopeia nacional emancipadora, libertação que convoca a mulher como ente participativo e definitório. Este filme é a primeira mirada do cinema cubano ao devir histórico, visto como caixa de ressonância para o íntimo, sim que a descrição da alma feminina obstaculize a visão das raças e povos acrisolados na nação cubana. A crítica tem reconhecido neste filme o extremo cuidado formal e de representação, sob a inspiração de Serguei Eisenstein, Luchino Visconti, Orson Welles, Glauber Rocha e os grandes neo-realistas, assim como seu gosto pela recreação enfática e melodramática dos signos culturais do passado, onde é notória a espessura filosófica, artística e histórica. Humberto Solás é considerado um cultivador da sedução através do virtuosismo estilístico.

Dia 22 – Memórias do subdesenvolvimento
Sinopse:
Retrato lúcido e poético de Cuba no começo dos anos 60, Memórias do Subdesenvolvimento é considerado um clássico do cinema latino-americano. O mestre Tomás Gutiérrez Alea oferece um olhar ao mesmo tempo carinhoso e crítico sobre os rumos da revolução narrado pelos olhos de Sérgio, um homem que aos 38 anos se vê subitamente sozinho em Havana, depois que sua mulher e seus pais resolvem migrar para os Estados Unidos. Ao acompanhar Sérgio, o espectador é convidado a passear pelas ruas da capital cubana e a encontrar personagens reais, num filme que mistura com habilidade recursos da ficção e do documentário.

22/06 – quarta-feira
Praça na saída do metrô Barra Funda, em frente à UNINOVE

14h - Atividade de rua: saúde e revolução PELA VIDA!
Barraca de campanha com atendimento à população e palestras
23/06 – quinta-feira (feriado)

Sala Mário de Andrade, anexo dos Congressistas - Memorial da América Latina
19h - Exibição do documentário de Carlos Pronzado "Carlos 'Calica' Ferrer: A última viagem de Ernesto Guevara pela América Latina" com presença de Carlos Pronzato e Calica Ferrer

Quem é Calica Ferrer: Carlos "Calica" Ferrer nasceu em Alta Gracia, Córdoba, em 1929. Aos quatro anos conheceu Ernesto Guevara de la Serna, um menino asmático que se instalou com a sua família em Alta Gracia para procurar um alívio para o seu mal. Ernesto e Calica mantiveram uma íntima amizade durante a infância e adolescência. Em 1953 empreenderam juntos uma viagem aventureira por América Latina, no final da qual, Guevara terminaria convertido no Comandante Ernesto Che Guevara.
Atualmente Calica Ferrer vive em Buenos Aires e se dedica a estudar e difundir a figura do seu amigo Ernesto Guevara. No documentário Carlos 'Calica' Ferrer, a última viagem de Ernesto Guevara pela América Latina (40 min./2011) de Carlos Pronzato, ele relata aquela viagem.




19h45 - Lançamentos e relançamentos dos livros

De Ernesto a Che - Carlos 'Calica' Ferrer (Argentina)

A Revolução Cubana e a Questão Nacional - José Rodrigues Máo Júnior

Cuba - apesar do bloqueio - Mário Augusto Jakobskind

Fogo cruzado - Coronel Jorge Herrera Medina (Cuba)
20h30 - Autógrafos e apresentação do grupo musical da AMA ABC

24/06 – sexta-feira
Auditório Simón Bolívar - Memorial da América Latina

8h - Credenciamento

9h - Palestra: A importância da Revolução Cubana no marco dos 50 anos da vitória em Playa Girón e a solidariedade internacional
PalestrantesCoronel Jorge Herrera Medina, combatente da batalha de Girón, Kenia Serrano Puig, presidenta do Instituto Cubano de Amizade aos Povos, Dôra Cesar do Nescuba

14h - Oficinas e mini-cursos
Universidade Nove de Julho
História da Revolução Cubana, Sistema educacional em Cuba, Sistema de Saúde em Cuba, Poder Popular e Democracia em Cuba, Política Externa Cubana e a ALBA, Direito Internacional com base no caso dos 5 heróis, Oficina sobre cinema feito nas margens, Oficina de música e identidade cultural cubana, A economia cubana, As relações de gênero em Cuba.

24/06 – sexta-feira - ABERTURA OFICIAL
Auditório Simón Bolívar - Memorial da América Latina

19h – Ato político de abertura
Ato político: Embaixador de Cuba no Brasil, Sr. Carlos Rafel Zamora Rodriguez, Presidenta do ICAP e deputada da Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba, Kenia Serrano Puig, e representantes de organizações nacionais

Apresentações musicais:
- Lançamento do novo CD de Pedro Munhoz
- Canto Libre com apresentação de vasto repertório latino-americano
- Apresentação do samba enredo “Cuba sim, em nome da verdade” pela escola União da Ilha da Magia, vencedora do carnaval de 2011 em Florianópolis


25/06 – sábado

Auditório Simón Bolívar - Memorial da América Latina

9h - Palestra: Bloqueio econômico e midiático
PalestrantesNidia María Alfonso Cuevas, Professora do Instituto Superior de Relações Internacionais de Cuba, Rosa Mirian Elizarde, jornalista do Cubadebate e Magalys Llort, parlamentar e mãe de Fernando González, um dos 5 patriotas cubanos preso nos EUA

14h - Grupos de trabalho
Universidade Nove de Julho
Bloqueio econômico, Bloqueio Midiático, Solidariedade a Cuba, Frentes Parlamentares, Libertação dos 5 patriotas

19h - Encerramento
Sintaema - Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de SP (próximo ao metrô Armênia, linha azul do metrô)

- Saudação de Aleida Guevara, médica cubana, filha de Che Guevara
- Leitura da Carta de São Paulo
- Festa de confraternização com a bateria das escolas de samba União da Ilha da Magia, vencedora do carnaval de 2011 em Florianópolis com o tema “Cuba sim, em nome da verdade” e da Unidos da Lona Preta

26/06 – domingo
Memorial da Resistência, antigo prédio do DEOPS - próx. as estações Luz e Júlio Prestes da CPTM
9h - Ato de agradecimento a Cuba pelo acolhimento dos brasileiros perseguidos políticos durante a ditadura civil-militar no Brasil e visita monitorada ao Memorial da Resistência

Entidades que convocam a Convenção

ABEEF, APEOESP, APES, ARES ABC, Assembleia Popular, CA de RI Unesp, Casa da América Latina, CCML, CDH Gaspar Garcia, CEAC, Cebrapaz, CEEP, CMP, Comitê Bolivariano de São Paulo, Comitê Brasileiro pela Libertação dos 5 Patriotas Cubanos, Comitê Pró-Haiti, Confraria Soteropaulistana, Consulta Popular, CRESS-SP, CTB, CUT, DCE UEPB, DCE UFABC, DCE UFCG, DCE UFPE, DCE UFRPE, DCE USP, ENFF, Fábrica Ocupada Flaskô, FDIM, FEAB, Frente pelo fim da Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto, Instituto Voz Ativa, Intersindical, J5J, JOC, Jornal A Verdade, Jornal Inverta, MAB, MLB, MLC, MLST, MMM, MORENA – CB, Movimento Correnteza, Movimento de Mulheres Olga Benário, MPA, MST, Pátria Livre, PCB, PCdoB, PCML, PCR, PSOL, PT, Rede Jubileu Sul, SASP, Sindipetro SP, SINDJORNAL, SINDLIMP/PB, SOF, STIUPB, UESPE, UJC, UJR, UJS, Uneafro, UST

Associações Culturais José Martí dos estados Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rio Grande do Norte, Casa Gregório Bezerra – PE, Casa de amizade Brasil-Cuba - CE e Núcleo de Estudos Cubanos – DF

terça-feira, 14 de junho de 2011

Che Guevara, 83 anos

14 DE JUNHO DE 1928, A HISTÓRIA COMEÇA A MUDAR, NASCE

CHE GUEVARA, O MÉDICO REVOLUCIONÁRIO.

Por Hermann Hoffman

“Se queremos expressar, como aspiramos que sejam nossos combatentes revolucionários, nossos militantes, nossos homens e mulheres, devemos dizer sem vacilação de nenhum tipo, que sejam como o Che! Se queremos expressar como queremos que sejam os homens e mulheres das futuras gerações, devemos dizer: que sejam como Che! Se queremos dizer como desejamos que se eduquem nossas crianças, devemos dizer sem vacilação: queremos que se eduquem no espírito de Che!” Fidel Castro.



Recordar Che é uma obrigação para todos nós que acreditamos no mundo mais humano, fraterno e solidário, e como disse Frei Betto: “em 14 de junho de 2008, Che Guevara completaria 80 anos! Sua militância entre nós terminou aos 39. Nem por isso conseguiram matá-lo. Hoje, está mais vivo do que nas quatro décadas de existência real. Aliás, são raros os revolucionários que, como Mao, e o próprio Fidel, envelhecem. Muitos derramaram cedo o sangue capaz de adubar o projeto de um mundo de liberdade, justiça e paz: Jesus, com 33 anos; Martí, 42; Sandino, 38; Zapata, 39, só para citar uns poucos exemplos”.

Ernesto “Che” Guevara de La Serna nasce no dia 14 de junho de 1928, na cidade de Rosário, Argentina, filho de Ernesto Guevara e Célia de La Serna. Poucos anos depois a família Guevara muda-se para a cidade de Alta Garcia, permanecendo até Che completar 18 anos, período muito difícil pelas freqüentes crises de asma de Che. Terminando seus estudos secundários, mais uma vez a família Guevara muda de cidade, agora para a capital do país, Buenos Aires. Com o ensino secundário concluído, Che faz a matrícula na Faculdade de Medicina da Universidade de Buenos Aires, e se destaca como um excelente estudante, tendo interesse tanto em medicina como em política.

Já em 1946, Che Guevara aproveita o período de férias universitárias e faz uma viagem pela Argentina, percorrendo 4.700 km e visitando o interior do país, nesta, são escritos seus primeiros textos de pensamentos. Em 1948 incorpora-se num navio, no sul do país, e mesmo com os freqüentes ataques de asma, viaja muito e se interessa mais pela política do seu país e da América Latina.

Quando já estava formado como médico, Che Guevara vem ao Brasil pela primeira vez, mas seu destino final é a Guatemala. Poucos anos depois concluía o doutorado em Medicina, especializando-se em doenças alérgicas, e logo regressa a Guatemala. Neste momento um golpe militar organizado pelos Estados Unidos derruba o governo da Guatemala e Che é obrigado a sair do país, pois trabalhava para o governo popular, mudando-se assim para o México.

No México, Che encontra-se com Fidel Castro e decide participar do movimento revolucionário de Cuba que visa derrubar o governo do ditador Fulgêncio Batista e parte junto com Fidel no iate Granma com destino a Cuba e participa da luta popular que se desenvolve em todo país conta a ditadura de Batista. O movimento armado iniciou na Sierra Maestra, mas se alastrou por toda Cuba com uma ampla participação popular organizada em nome do movimento 26 de julho, juntamente com o Partido socialista cubano fundado por José Martí e pela Frente Estudantil Revolucionária.

Che que como médico vai se destacando nas atividades e se transforma em comandante, sendo responsável pela coluna que tomou Santa Clara, uma das principais cidades de Cuba. Em 1959 triunfa a Revolução Cubana e o Ditador Fulgêncio Batista foge do país, iniciando profundamente as transformações em Cuba, com a reforma agrária, reforma urbana, educacional e da saúde.

No novo governo de Cuba, Che ocupa os cargos de Ministro da Indústria e Comércio e Presidente do Banco Central participando ativamente da construção do Socialismo em Cuba e defendendo as idéias dos mutirões populares e do trabalho voluntário como forma de resolver rapidamente os principais problemas do povo cubano. O próprio Che na condição de Ministro participa de mutirões de construção de casas populares, escolas, mutirões de colheita de cana, junto com os trabalhadores.

Iniciando o ano de 1965 Che renuncia todos os cargos e parte com um grupo de revolucionários cubanos, para o Congo, para ajudar o movimento revolucionário daquele país onde à ditadura imposta pelos Estados Unidos tinha recém assassinado o principal dirigente do país, no entanto a correlação de forças era muito inferior e Che regressa para América Latina e parte para a Bolívia, incorporando-se ao movimento revolucionário.

No dia 8 de outubro Che é preso no povoado de La Higuera no interior da Bolívia e em seguida por ordens da CIA é fuzilado friamente no interior de uma pequena escola rural, tendo apenas 39 anos.

Recordar Che é recordar que o mundo novo é possível e provado, entendendo, sobretudo que para lograr este mundo a luta não pode ter fronteiras; que o espírito de sacrifício deve ser a caracterização da juventude; que a reforma agrária deve ser o primeiro passo; e o acesso aos bens culturais, à educação, à saúde e a uma vida igualitária devem superar o apego aos bens materiais; que a crença nas forças populares deve ser a maior força e a “indignação contra qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo constitua a qualidade mais bela de um revolucionário, de um militante”

14 de junho de 1928

83° Aniversário de nascimento de Che Guevara.



*A Medicina deverá converter-se um dia numa ciência que sirva para prevenir as doenças, que sirva para orientar a todo o público sobre seus deveres e somente deve intervir em casos de urgência...A principio deve basear-se atacar as doenças criando um corpo forte, porém não criar um corpo forte com o trabalho artístico de um médico sobre um organismo debilitado, senão criar um corpo forte com o trabalho de todos da coletividade, sobre toda essa coletividade social

*Palavras pronunciadas em 19 de agosto de 1960 ao iniciar um curso do Ministério de Saúde Pública de Cuba.

sábado, 11 de junho de 2011

RN - 2ª Convenção Estadual

ACJM/RN realiza a 2ª Convenção Estadual de Solidariedade com Cuba

Com a presença de cerca de 40 delegados representantes de diferentes partidos políticos e organizações sociais amigas do povo cubano, a Associação Cultural José Martí/Casa de Amizade Brasil–Cuba do Rio Grande do Norte (ACJM/RN) realizou na sexta-feira, dia 10 de junho, no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), sua 2ª Convenção Estadual de Solidariedade com Cuba.

A convenção do movimento de solidariedade com Cuba no Rio Grande do Norte iniciou-se com as palavras do presidente da ACJM/RN Olavo Queiroz, que agradeceu aos presentes o esforço realizado para cumprir as tarefas propostas para o biênio 2010/11, assim como a necessidade de fortalecer ainda mais o movimento no Nordeste do País.

O evento contou com a presença do companheiro Fabio Simeón Gonzalez, funcionário do Instituto Cubano de Amizade com os Povos. Fabio está cumprindo intenso roteiro de visitas por vários estados brasileiros e se encerrará com a celebração da 19ª Convenção Nacional de Solidariedade com Cuba, que será realizada na cidade de São Paulo, entre os dias 23 e 25 de junho, no Memorial da América Latina.

O funcionário cubano abordou temas como o surgimento do movimento de solidariedade; o marco dos 50 anos da vitória em Playa Girón; a proclamação do caráter socialista da Revolução Cubana; o 25º aniversário do restabelecimento das relações diplomáticas entre Brasil e Cuba, irmanados com maior intensidade desde o triunfo da Revolução em 1º de janeiro de 1959, além de expor aspectos sobre a realidade atual de Cuba, particularmente sobre a aprovação das novas diretrizes que estão sendo aplicadas para garantir uma eficaz política econômica, com verdadeiro sentido do momento histórico, e fazendo as mudanças necessárias que assegurem no futuro maior eficiência e produtividade.

A injusta prisão dos Cinco Heróis Cubanos em cadeias estadunidenses, o apoio das entidades brasileiras de solidariedade com Cuba e o criminoso bloqueio econômico dos EUA contra a Ilha durante mais de 50 anos também foram temas abordados e discutidos pelos delegados.

No evento, fundadores e colaboradores nordestinos do Movimento de Solidariedade com Cuba, ratificando seu incondicional apoio à Revolução Cubana, trouxeram seus testemunhos aos mais jovens sobre a maneira que se fazia solidariedade a Cuba em décadas passadas, principalmente durante a ditadura militar, em que o movimento atuava clandestinamente.

Em seu pronunciamento, Antonio Capistrano, ex-reitor da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, apontou caminhos que, com toda sua experiência, podem impulsionar as novas tarefas que assumem hoje o movimento de solidariedade.

Um especial momento de reflexão esteve a cargo do ex-vereador Juliano Siqueira, que em seu mandato apresentou e aprovou a lei que consagra Natal e Havana como cidades-irmãs.

Esteve na convenção como convidado especial o companheiro Mery Medeiros, presidente da Associação dos Anistiados e Ex-Presos Políticos do Rio Grande do Norte.

No final, os delegados fizeram uma pauta de assuntos discutidos na convenção da ACJM/RN para que seja encaminhada à delegação que participará da 19ª Convenção Nacional de Solidariedade com Cuba, em São Paulo.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Raúl Castro completa 80 anos

Nesta sexta-feira, o camarada Raúl Modesto Castro Ruz (Birán, 3 de Junho de 1931) completa 80 anos de vida. 80 anos em favor do povo cubano e do socialismo.
Longa vida a Raúl!!!!!!!

http://convencao2009.blogspot.com/2011/06/raul-castro-80-anos-em-favor-do.html