quinta-feira, 5 de junho de 2014

Em Washington - Jornada de apoio a Cuba e aos Cinco antiterroristas



Parlamentares de vários países, advogados, líderes religiosos, prefeitos, artistas, escritores, ativistas pela paz e outras personalidades se reunirão a partir de hoje em Washington, em uma nova jornada de solidariedade com os antiterroristas cubanos presos nos Estados Unidos.

Uma conferência denominada Nova Era nas relações Estados Unidos-Cuba que inclui diversos painéis, a mostra de caricaturas de Gerardo Hernández "Humor from my Pen" (Humor desde a minha reclusão) e as 15 aquarelas de Antonio Guerrero "Yo me Muero como Viví" (Eu Morro como Vivi), assim como a apresentação de livros, fazem parte do programa da III Jornada Cinco dias pelos Cinco.

Segundo constatou Prensa Latina, os painéis serão sobre o escândalo pelas recentes revelações de programas contra Cuba da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e os intercâmbios culturais durante o atual governo do presidente Barack Obama.

Enquanto isso, o tema do terrorismo contra a ilha e a atualização do caso dos Cinco ocuparão um espaço especial, com a participação de um prestigiado coletivo de especialistas.

Dos cinco cubanos condenados por alertar ao seu país sobre as atividades terroristas planejadas por elementos extremistas em território estadunidense, apenas Fernando González e René González terminaram de cumprir suas sentenças e voltaram à ilha.

Entretando, os três antiterroristas antilhanos que ainda permanecem na prisão, Gerardo Hernández, Ramón Labañino e Antonio Guerrero, cumprem uma sanção que somadas são iguais a duas prisões perpétuas, 66 anos mais 10 meses e cinco anos de liberdade supervisionada.

Também serão exibidos os documentários Justiça em Londres, do cubano Roberto Chile, e A Revolução Sexual em Cuba, do falecido cineasta e jornalista estadunidense Saúl Landau.

Entre as atividades previstas até 11 de junho está ainda uma apresentação de hip hop, que pretende atrair, em particular, o público jovem.

Esta III Jornada se insere ainda em um contexto especial, quando é crescente o clamor pela mudança na política dos Estados Unidos referente à Cuba, nações cujos vínculos foram quebrados unilateralmente por Washington em 1961.

Os defensores desta nova página estimam que um eventual diálogo entre os dois países transitaria não só pela questão de eliminar o bloqueio econômico, financeiro e comercial imposto ao povo cubano há mais de 50 anos, mas também por uma solução ao caso de Gerardo Hernández, Ramón Labañino e Antonio Guerrero.

Na véspera, o Comitê Internacional pela Liberdade dos Cinco – organizador da jornada – divulgou uma carta da deputada chilena Camila Vallejo, quem pediu a Obama, em seu status de Prêmio Nobel da Paz, o indulto a Hernández, Labañino e Guerrero.

Vallejo se somou assim a diversas personalidades do mundo que têm manifestado ao mandatário estadunidense que resolva este caso, incluindo muitos Prêmios Nobel, parlamentos inteiros, artistas e outras referências dos mais diversos âmbitos.

A partir de 2005 um grupo de especialistas das Nações Unidas concluiu que a prisão dos Cinco é arbitrária e sugeriu então remediar a situação, o que até hoje não foi escutado em Washington.

No próximo 12 de setembro completarão 16 anos da prisão em Miami desses homens, quando monitoravam os planos terroristas que de lá têm sido forjados e financiados contra Cuba.

Retirado de SOLIDÁRIOS

Um comentário: