segunda-feira, 22 de maio de 2017

XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba

CONVOCATÓRIA




XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba
Belo Horizonte - Junho de 2017

            A Associação Cultural José Martí de Minas Gerais (ACJMMG) e o Movimento Brasileiro de Solidariedade a Cuba convocam a participar da XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba que ocorrerá de 15 a 17 de junho, em Belo Horizonte. Um momento de alegria e reflexão que conta com o apoio das entidades de solidariedade a Cuba de todo o território nacional.

            Inspirados nos exemplos de luta e abnegação do Comandante-chefe Fidel Castro Ruz e prestando nossas homenagens a Ernesto Che Guevara por ocasião do 50º ano de seu assassinato, realizamos a XXIII Convenção Nacional conscientes de que sobre Cuba ainda se mantém um bloqueio econômico, financeiro e comercial genocida, a base naval em Guantânamo permanece ilegalmente ocupada e subsistem ações subversivas contra o território cubano por parte dos Estados Unidos da América.

            Os povos vivem hoje num contexto marcado por uma cruel e arrogante ofensiva do imperialismo contra os governos progressistas.

            Torna-se cada vez mais evidente a necessidade de fortalecer a unidade entre nossos povos em defesa da soberania e autodeterminação. Sob a palavra de ordem "Nenhum Direito a Menos" urge nos engajarmos as forças democráticas e populares, os partidos, os movimentos sociais e sindicais brasileiros, reafirmando nossas bandeiras de solidariedade e amizade a Cuba socialista.

            Neste momento em que celebramos também os 100 anos da Revolução Russa, permanecemos convictos de que aos povos pertence o futuro.

            Repetimos as palavras de Fidel: "As bombas podem matar os famintos, os doentes, os ignorantes, mas não podem matar a fome, as doenças, a ignorância".

            Até a Vitoria Sempre!!!

Associação Cultural José Martí Minas Gerais


PROGRAMAÇÃO
XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba
Belo Horizonte - MG - 15 a 17 de junho de 2017

DIA 15 - Quinta-feira

Teatro Francisco Nunes. Parque Municipal de Belo Horizonte.

12:00 h -18.30 h – Credenciamento e inscrição para Grupos de Trabalho
19:00 h - Abertura solene e composição da Mesa com a presença de convidados especiais, entidades, personalidades e autoridades públicas.
19:30 h
Execução dos Hinos Nacionais de Brasil e de Cuba.
Abertura pelo presidente da Associação Cultural José Martí de Minas Gerais.
-Palavras do representante do Instituto Cubano de Amizade  com os Povos.
-Palavras do Encarregado de Negócios da Embaixada de Cuba.
-Palavra aberta a membros da Mesa.
21:00 h
Confraternização - Degustação de cachaça de qualidade e coquetéis produzidos com cachaças de Minas. Tira-gostos, água, sucos.
Show musical

Dia 16 - Sexta-feira

Centro de Referência da Juventude - Praça da Estação

8:00 h - Credenciamento e inscrição para Grupos de Trabalho.
9:00 h-  Palestra/ O Bloqueio a Cuba e a Reintegração da Baia de Guantánamo.

Palestrantes: Representante de Cuba e Representante do Brasil.
10:00 h – Recesso
10:15 -  Palestra/ O Programa Mais Médicos:  presença de profissionais  cubanos, os resultados e benefícios para  a população.
Palestrantes: Representante de Cuba e Representante do Brasil.

11:30 h   Palestra/Atualização do modelo econômico cubano. Avanços na sua implementação.
Palestrantes: Representante de Cuba e Representante do Brasil.

13.30 h – Almoço

14.30 h Lançamento do livro "Canto Épico", por membro da OSPAAAL (Organização de Solidariedade aos Povos da Ásia, África e América Latina), Santiago Feliú.
15. 00 h - 17.30 h
Início dos Grupos de Trabalho
Grupo 1
- Desinformação e atividades subversivas contra Cuba.
Grupo 2
- Consolidação e perspectivas do Movimento de Solidariedade no Brasil. Metas e desafios.
17:45 h -
Apresentação e exibição de filme sobre Guantánamo, a cargo de Carmen Diniz, do Comitê Carioca de Solidariedade a Cuba.
20:00 h - Confraternização Internacionalista

Dia 17 – Sábado

O9:00 h - Centro de Referência da Juventude
Palestra/Debate
O Legado de Solidariedade Internacionalista de Fidel e Che
10:30 h - Recesso
Informe das entidades de solidariedade brasileiras
Moções


Apresentação e aprovação da Carta de Belo Horizonte
Indicação da próxima Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba

13:00 h – Almoço

15:00 h - Praça 7
Ato Político Cultural - Dia da Solidariedade Internacionalista
Música e Poesia - Apresentação do Bloco Soviético O Vermelhim

Programação Adicional

                Aos amigos de Cuba que permanecerem em Belo Horizonte  até o final do domingo (18/06), buscaremos organizar duas atividades complementares à XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba:

 Tour em Belo Horizonte



FICHA DE INSCRIÇÃO DA XXIII CONVENÇÃO NACIONAL DE SOLIDARIEDADE A CUBA
Belo Horizonte - Minas Gerais
15 a 17 de junho de 2017

(Preenchimento em letra de forma)



Nome: __________________________________________________________

Nome para crachá ­­­­­­­­­­­­­­­­__________________________________________________

Endereço: _________________________________________________________

CEP: __________ Cidade: _______________ UF: ____

E-mail:____________________________________________________________

Tel.: (  )____________

W. App (  )________________

Entidade/Movimento_____________________________________________________

Importante :
  •  Esta ficha de inscrição deverá ser enviada para o endereço eletrônico: acjmmg@gmail.com para confirmação.
Taxas de Inscrição:

Simples - R$ 5,00  (Pasta do Evento com materiais básicos)

Completa - R$ 30,00 (Pasta do Evento com materiais básicos + camiseta da Convenção + Sacola de tecido da Convenção)

Apoio Solidário - R$ 50,00 (Pasta do Evento com materiais básicos + camiseta da Convenção + Sacola de tecido da Convenção + 09 Adesivos de 90 anos do Fidel + 02 Cartazes 90 anos do Fidel)

Forma de pagamento: Á vista, no ato do credenciamento


SUGESTÕES DE HOTÉIS PARA HOSPEDAGEM EM BELO HORIZONTE: 



AMAZONAS PALACE HOTEL
Av. Amazonas, 120 – Centro
Sky: reservasamazonaspalacehotel
Telefax - 55-31-3207-4644
Contato – Supervisora de Reservas – Aparecida

HOTEL NACIONAL INN
Rua Espirito Santo, 215 – Centro
Telephone/fax – (31)3273-6866
Contato – Viviane Bittencourt

HOTEL TURISTA LTDA.
Rua Rio de Janeiro, 423 – Centro
Telefone : (31) 3273-7282

HOTEL ESPLANADA
Av. Santos Dumont, 304
Telefax – (31) 3273-5311
Contato – Elizabete

SUL AMÉRICA PALACE HOTEL
sulamericahotel.com.br
reservas@sulamericahotel.com.br
Av. Amazonas, 50 – Centro

Telefone – (31) 3201-1722 – (31) 99844-9284





A XXIII Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba,

evento que reúne entidades e personalidades do movimento de

solidariedade a Cuba, acontecerá em Belo Horizonte, no próximo

mês de junho, dos dias 15 a 17. Quem recebe e organiza é a

Associação Cultural José Martí de Minas Gerais (ACJM-MG).

É o momento de avaliação e ampliação da luta contra o bloqueio a

Cuba, pela devolução da Baía de Guantánamo, pela união latino

americana e solidariedade internacionalista por justiça social,

democracia, soberania, autodeterminação dos povos e paz

mundial.


            A XXIII Convenção será realizada nas dependências do

CRJ - Centro de Referência da Juventude - Praça da Estação,

com palestras, debates,oficinas, exposições e festas de confraternização.

Um amplo grupo de entidades populares e sindicais tem dado apoio à

realização do evento As inscrições serão abertas na primeira quinzena de abril,

com informações detalhadas sobre a programação, atividades culturais paralelas

e também sobre a hospedagem solidária.


          Mais informações na página do Facebook da Associação Cultural José

.

Martí vive e a luta continua: 122 anos do desaparecimento físico do apóstolo de Cuba


Por Maria Leite

Nenhum povo é dono do seu destino se antes não é dono de sua cultura (JOSÉ MARTÍ)

Estas significativas palavras de Martí apareceram no documento elaborado ao término do II Encontro Nacional de Alfabetização e Cultura Popular, realizado em Recife, no ano de 1963, quando a burguesia, aliada ao capital estrangeiro, e o latifúndio, impenetrável às mudanças sociais, armazenavam uma crise latente. As forças populares desarticuladas não foram suficientes para resistir à barbárie. Em pouco tempo, as condições mudaram radicalmente e, mais do que nunca, o Brasil ficou distante de Cuba; “um fruto proibido” aos brasileiros. 

Hoje, passados 122 anos de sua morte de Martí, o seu ideário ainda provoca aguçadas reflexões sobre a formação dos valores societários de Nuestra América. O fato do ideário ético-político martiano, impregnado de humanismo pedagógico, privilegiar os valores tornou-se evidente, a partir 1889, quando da publicação do primeiro número de La Edad de Oro, revista voltada para crianças do continente latino-americano. Essa obra, inteiramente escrita e editada por Martí, demonstrou o seu trabalho multiforme de autor e a iniciativa para criar nos meninos da América Latina – ameaçada pela progressiva perda de sua identidade cultural – uma consciência anticolonialista e um alto sentido de solidariedade humana. José Martí iniciou sua participação política escrevendo a jornais separatistas. Com a prisão de seu mestre Rafael Mendive, cristalizou-se a atitude de rebeldia contra a dominação espanhola. Em 1869, Martí foi condenado a seis anos de trabalhos forçados, mas passou somente seis meses na prisão, pois conseguiu permutar a pena pela deportação à Espanha. Dedicou-se ao estudo do Direito, obtendo, em 1874, o diploma na Universidade de Zaragoza. Entre 1881 e 1895, viveu em Nova Iorque, porém foi no México, na Guatemala e na Venezuela que alcançou o mais alto grau de identificação com a autoctonia da América, até o momento desconhecido a um filho de espanhol. No comando de um contingente de cubanos, após breve encontro com tropas espanholas no vilarejo de Dos Ríos, em 19 de maio de 1895, Martí foi atingido, morto e seu corpo mutilado. 

A trajetória de sua vida revolucionária o fez passar por vários países, proporcionando-lhe conhecimentos avançados para seu tempo nos temas da Educação. Como estudioso não apenas dos problemas da instrução e ensino em Cuba, mas de todos os países de continente americano, onde teve a oportunidade de viver e adquirir informação, Martí elaborou um pensamento pedagógico, com a urgência da sonhadas Repúblicas. A síntese desse ideário constitui, até hoje, um paradigma para a educação de nossos povos. Indiscutivelmente, Martí possuía um referencial teórico – que evoluiu historicamente – no qual a educação é concebida como uma estratégia para o desenvolvimento do homem. Na sua concepção, era um fato grave a Educação latino-americana seguir os padrões ou modelos dos sistemas europeus e norte-americanos, desvinculados das realidades socioeconômicas em que se aplicavam. Convencido de que “Patria es humanidad”, Martí reafirmou o imperativo para Nuestra América de um espírito diferente da América Anglo-Saxônica, na busca de uma legítima cultura ajustada à realidade latino-americana.

Retidado de SOLIDÁRIOS